Dicas

QUERO COMEÇAR MINHA STARTUP. E AGORA?

Uma startup é um modelo de negócio inovador, ágil, de alto risco e que pode necessitar altas quantias de investimento. O fator sobre disponibilidades financeiras para investimento no início das atividades, na maioria dos casos, é muito escasso e caracteriza-se como um primeiro desafio ao empreendedor: trabalhar na alocação de poucos recursos sobre a estrutura enxuta da empresa.

Os primeiros passos devem ser realizados de forma cuidadosa e com tomadas de decisões rápidas, o empreendedor deverá dividir sua atenção na formação de uma estrutura dinâmica, flexível e não burocrática.

Antes de tudo deve-se ter identificado qual o problema que se pretende resolver ou benefício que irá oferecer para alguém, ou seja, como gerar valor para o cliente. Outra característica em sua estrutura é identificar qual tipo de inovação tecnológica poderá ser atribuída à sua solução e operação, dessa maneira se trabalhará com eficiência. Em seguida, buscar pela escalabilidade, ou seja, ter potencial de crescimento sem elevar custos em mesma proporção.

O início é marcado por começar de forma pequena, ser rápido das decisões e execuções, validar com o cliente o problema identificado, estar aberto a receber críticas e pensar grande.

Há vários autores e empreendedores que oferecem suas contribuições sobre as fases de desenvolvimento de uma startup, sendo difícil encontrar um consenso sobre isso, mas podemos considerar que, basicamente, conforme apresentado por Eric Ries em “A Startup Enxuta”, há o ciclo de construir – medir – aprender.

De maneira breve, na fase de construir, o empreendedor é o responsável em transformar ideias em produtos, sendo essa a primeira fonte de inspiração que norteia a resolução do problema de alguém gerando valor. Em seguida, com a fase de medir, deve-se dar atenção essencial sobre a reação dos clientes, este momento é conhecido como um ciclo de validação pelo cliente e será um importante termômetro se a startup está gerando valor para alguém.

Por fim, há o processo de aprendizado que indicará o avanço com o desenvolvimento da empresa ou a necessidade de mudanças estratégicas; esse alinhamento de rota no desenvolvimento é conhecido como pivotar a startup.

Existem instituições, programas e pessoas aos quais o empreendedor deverá se conectar para recorrer a conhecimentos, informações, mentorias e direcionamentos. No começo é necessário estar aberto a sugestões e próximo de pessoas que somem ao propósito maior que a startup possui, que é agregar valor para o mercado e às pessoas.

Henrique Rafael da Silva Romão

Faça uma busca

Categorias

Newsletter